Painel de Boas Práticas - Ensino Fundamental - Anos Finais e Ensino Médio

  • Painéis de Boas Práticas
  • Turma: 21BHEEBP09
  • Inscrições abertas!
  • Agenda: 20/10/2021
  • Carga Horária: 16h às 18h
  • Valor: EVENTO GRATUITO

Como utilizar Harry Potter na formação leitora?

A partir da citação de Walter Benjamin que nos diz que o texto é um trovão que ressoa durante um longo tempo, gostaria de apresentar uma prática de leitura e vivência do texto literário em que o sexto ano pode, em compartilhamento com as turmas dos anos iniciais, criar diferentes estratégias de leitura de "Harry Potter e a pedra filosofal". Desde oficinas de poções até criações de hinos, vídeos e muito mais, os alunos puderam transportar a literatura para realidade e fazer ecoar a potência dessa textualidade em outros leitores.

Maria Isabel Teixeira Brisolara - Escola Autonomia - obteve título de mestre em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina em 2016 e possui licenciatura em Letras e Literatura Portuguesa pela mesma instituição. Estudou no mestrado a figura de Ahasverus na obra do escritor Samuel Rawet, analisando a metamorfose como forma de vivenciar a alteridade. Trabalha especialmente com a leitura do texto literário como meio ético. Atualmente é professora de Língua Portuguesa dos sextos e sétimos anos da Escola Autonomia.



Narrativas quadrinescas e representatividade: o caso dos super-heróis negros

A apresentação trata de uma experiência pessoal de prática docente que se deu no 8º Ano do Fórum Cultural, mais especificamente numa aula de História sobre a vida no Quilombo de Palmares. Foi proposta uma reflexão sobre o porquê da morte de Zumbi ser o marco para o Dia da Consciência Negra e, principalmente, sobre a importância da representatividade. Tomando tal ponto de partida, buscamos na ficção uma alternativa para aprofundar a temática, analisando assim um breve histórico dos super-heróis negros no universo das HQs e sua relação com a construção de identidades. Através de um debate, nos perguntamos sobre os possíveis laços e distanciamentos entre História e a Arte e no caminho nos deparamos com conceitos como raça, racismo, narrativa e resistência. 

Mateus Bertolino Sampaio - Fórum Cultural - Graduação em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e Mestrado Profissional em Ensino de História pela mesma instituição, com foco na área de Cultura visual, mídia e linguagens e Produção e difusão de narrativas históricas. Professor do Ensino Básico nas instituições Fórum Cultural e Colégio Nossa Senhora da Assunção, além do Loghus Pré-Vestibular, todos da cidade de Niterói (RJ).



O papel das tecnologias e os ambientes virtuais no processo de aprendizagem de matemática: análise da Khan Academy

Compreender o papel que as tecnologias e os ambientes virtuais possuem no contexto do século XXI, demanda para o cotidiano escolar ensaiar e produzir novas práticas pedagógicas que considerem esses novos elementos presentes em nossa época.
Diante disso, desenhar práticas educativas que possibilitem crianças e jovens desenvolver suas aprendizagens matemáticas requer o diálogo da docência com ambientes virtuais de aprendizagem.
Portanto, o trabalho a ser apresentado tem como foco a análise de um tipo de plataforma virtual: Khan Academy no processo de ensino aprendizagem, procurando revelar para o público as seguintes questões:
 
Como respeitar os ritmos diferentes de aprendizagem do aluno, possibilitando a cada um desenvolver as competências e habilidades matemáticas?
Como pensar a relação pedagógica que reconfigurem o papel do aluno e professor nos processos educativos?
Como interpretar os dados produzidos em relatórios para intervir nas aprendizagens no âmbito coletivo e individual?

Ao vivenciar todas essas questões a partir do trabalho com a Khan Academy, o objetivo é compartilhar saberes e práticas que possibilitem a construção de aprendizagens significativas por nossos estudantes.

Douglas Ferreira Tomé - Escola Viva - Professor de Matemática e Especialista em Tecnologias na Aprendizagem. Iniciou o trabalho na Educação em 1991.  É professor da rede privada e pública na cidade de São Paulo, desenvolvendo seu trabalho com a Matemática no Ensino Médio e assessorando/orientando projetos educacionais que envolvam a tecnologia na rede pública. Participou do grupo de estudo para a produção do Currículo da Cidade de Tecnologias para Aprendizagem.



Aprendizagem por projetos

No ensino de Física do Oitavo ano estava previsto o estudo de eletricidade, partindo desde a carga do elétron indo até a Lei de Lenz, a apresentação será sobre a aprendizagem através de projetos, partindo da construção de um pendulo eletrostático, passando pela construção de um eletroscópio de folha, chegando a construção de um motor elétrico elementar finalizando com um projeto integrado de criar um guindaste hidráulico com eletroimã acoplado.

Jairo Oliveira de Castro
- Colégio BIS - Profissional com sólida carreira na área educacional, lecionando Química para o Ensino Fundamental II, Médio, Técnico e Cursinhos.
Ministra aulas fundamentadas em metodologias ativas de aprendizagem, partindo de pontos chaves explicitados em diversas plataformas, relacionando o tema a exemplos práticos do dia.




Mediação do painel: 

Cristiane Oliveira Vasconcelos Motta -
Grupo Balão Vermelho - Mestre em Educação com ênfase em literatura pelo Colégio Pedro II, participou do grupo de pesquisa LEDUC na UFRJ. Pedagoga pela UFMG, especialista em psicopedagogia UERJ e psicomotricidade UERJ. Trabalhou com formação de professores no Instituto Superior Pró Saber no Rio de Janeiro e como coordenadora e professora de escolas construtivistas em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro. Atualmente é tutora pedagógica do Grupo Balão Vermelho.




Agenda
Data: 20 de outubro de 2021
Horário: das 16h00 às 18h00

* O link para o evento será enviado com um dia de antecedência. 

O email de confirmação de inscrição para este evento será enviado em até 48 horas.

Centro de Formação da Vila - 2021
Tema desenvolvido por EVERSOFT